Anúncio

Vídeo: Moradores em situação de rua se aglomeram no Centro de Guarapari

No vídeo é possível ver os moradores em situação de rua deitados juntos, consumindo bebidas alcoólicas e ouvindo música

Por Aline Couto

Publicado em 19 de maio de 2020 às 08:48
Atualizado em 19 de maio de 2020 às 18:34
Anúncio
Foto: Reprodução vídeo.

Um vídeo enviado para a redação do folhaonlie.es mostra moradores em situação de rua se aglomerando na Praça Irineu José Vicente, em frente ao banco Bradesco, no Centro de Guarapari. Na imagem é possível ver eles consumindo bebidas alcoólicas, ouvindo música e deitados, no chão e até em colchões.

Um dos moradores do entorno, o artista plástico Ewelson Sodré, disse que a situação é recorrente e que durante a madrugada, sempre acontece algazarra e gritaria entre eles. “Moro em frente à praça e tenho minha mãe de 97 anos comigo. Ela não consegue dormiu pelo barulho que eles provocam”.

Ewelson ainda contou que os moradores montaram um acampamento no local com fogão, colchões e até som. Além de constrangerem as pessoas pedindo dinheiro. “Eles chegam a ameaçar quem passa pela praça ou pelas ruas próximas. E ficam em cima dos idosos na praça”.

Quislon Petersen Porto trabalha no Cartório Reis Simões 1° Ofício de Notas, localizado na própria praça, e vê a situação do local como uma vergonha para o município. “A praça é uma das mais antigas na cidade, faz parte da história de Guarapari. Hoje ela se encontra entregue às pessoas em situação de rua”.

Ele relatou que a todo momento aparecem pessoas diferentes na praça, mas que sempre há um grupo fixo no local.

“As ações para essa questão são ineficazes, só acontece mapeamento e abordagem. São necessárias políticas de enfrentamento. Ora, se existem políticas para ocupação, licenciamentos e trabalhos nas praças, praias e calçadões, porque para essas pessoas não podem ter? Se um trabalhador não pode ali ocupar para comercializar algum produto, mesmo pagando licença, porque essas pessoas podem permanecer no local?”, indagou.

A prefeitura de Guarapari foi procurada e questionada: A Setac não está fazendo o trabalho de abordagem e recolhimento? Não foi intensificado por conta da pandemia? Diante da Covid-19, esses moradores estão sendo monitorados? Quais medidas foram ou serão tomadas a respeito dos moradores em situação de rua na cidade?

A resposta veio através de nota:

O caso mostrado no vídeo se trata de um fato antigo que já foi solucionado nos últimos dias, quando houve uma ação de abordagem social.

Atualmente, Guarapari possui uma média de 114 moradores em situação de rua.

A Prefeitura de Guarapari, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania – Setac, vem ofertando ações que possibilitam higienização, com banhos, cortes de cabelo e barba, entrega de kits de higiene pessoal. Além disso também oferta atendimento com médico e equipe de enfermagem dentro do Centro Pop

A Setac mantém o atendimento normal do Centro Pop, que está aberto de segunda a sexta feira de 8h as 16h.

Com medidas de prevenção, evitando aglomeração de pessoas. Atendimentos são realizados pela equipe fazendo uso do EPI conforme orientações. Não foi identificado aumento dos moradores em situação de rua na cidade”.

Anúncio
Anúncio

Veja também

tormenta1

“Operação Tormenta” prende 14 suspeitos de tráfico em Alfredo Chaves

Imagem ilustrativa | Reprodução: Pixabay

O que cabe ao síndico em meio à pandemia? Advogada de Guarapari explica

Para a Dra. Maieli Marques de Oliveira, é preciso muita atenção ao determinar as medidas restritivas no condomínio

Anúncio
Anúncio
Treinamento para sessão virtual

Câmara de Guarapari realizará primeira sessão virtual da história

Foto: Reprodução

Campanha de vacinação contra gripe é prorrogada em Guarapari

A vacinação continuará até o dia 30 de junho

Anúncio
corona

Coronavírus: Guarapari registra 12º óbito e mais 10 casos da doença

A vítima fatal da doença residia no Centro

CTA

Centro de Testagem e Aconselhamento vira alvo de denúncias em Guarapari