Anúncio

Moralidade na Administração Pública

Publicado em 20 de março de 2021 às 15:00
Atualizado em 22 de março de 2021 às 09:37

Anúncio

Por Dra. Elizabeth Verônica Picciafuoco (*) – OAB/ES 27.927

O atual cenário político municipal, capixaba, nacional, quiçá mundial, nos faz parar promover a seguinte reflexão: Como anda a moralidade dos nossos governantes? Quais são os meios do cidadão agir quando se sente lesado pelos seus administradores?

Devemos pensar que não somente os atos públicos são subordinados à baliza norteadora constitucional da moralidade, pois entendemos que o agente político deve ser como a definição dada pelo imperador romano Júlio César: “a mulher de César não só deve ser honesta, mas também deve parecer honesta.”.

A Administração Pública recebeu da Constituição Federal o desempenho da função administrativa, que nada mais é que um conjunto de poderes e competências capaz de permitir restrições ou supressões de determinados direitos individuais visando à plena realização do interesse coletivo, dever único do Estado.

Contudo, por mais honrados e dignos que pareçam ser os administradores públicos, nem por isso são perfeitos. A perfeição é característica Divina, e todos os homens são passíveis de erros, pois somos seres em desenvolvimento e limitados.

Existem diversas formas do cidadão comum acompanhar, reivindicar e fiscalizar as ações dos seus Administradores, quais sejam alguns dos Instrumentos Jurídicos possíveis ao cidadão comum: através de Ação Popular ou de Ação Regressiva.

Há que se ressaltar que a própria CF insufla a participação popular junto à administração pública como meio de acompanhar e assegurar que as leis previstas em todo nosso ordenamento jurídico sejam aplicadas.

E, analisando todo o contexto político ainda neste ano de 2021, vemos o povo buscar participar das ações dos nossos governantes, cobrando uma conduta correta e exigindo mudanças de atitudes por parte dos gestores, visando atingir o equilíbrio, o meio termo, respeitando as diferenças políticas, buscando o bem comum através de uma sociedade pautada na moralidade intrínseca de cada um, conquistando a verdadeira justiça!

dra elizabeth veronica

* Dra. Elizabeth Verônica Picciafuoco – OAB/ES 27.927
Especialista em Direito Administrativo; Eleitoral; Previdenciário; Trabalhista e Tributário.

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

Lorencini e Léo Português

Renato Lorencini e Léo Português despontam como pré-candidatos à prefeitura de Anchieta pelo PSB

Políticos tentam viabilizar candidatura para sucessão de Fabrício Petri

WhatsApp Image 2024-02-20 at 08.59.32

Nadador de Guarapari compete na Austrália em busca de índice para as Paralimpíadas

Os jogos paralímpicos de 2024 acontecem entre os dias 28 de agosto e 08 de setembro

Anúncio

Anúncio

WhatsApp-Image-2024-02-19-at-15.03.22-2

Guarapari e outras 37 cidades recebem máquinas e equipamentos agrícolas do Governo do Estado

Foram entregues 60 máquinas que vão auxiliar nas ações agrícolas e na conservação e manutenção de estradas vicinais

chuva_tempestade_previsao_do_tempo-2022

Guarapari recebe alerta amarelo para chuvas intensas; veja a previsão para a semana

Alerta de perigo potencial é válido até 10h desta terça-feira (20)

Anúncio

eco101 ponte sobre o rio benevente

BR-101 será interditada para obras de duplicação do trecho entre Guarapari e Anchieta

Eco101 realizará içamento de 15 vigas da nova ponte sobre o Rio Benevente

WhatsApp Image 2024-02-19 at 09.38.20

Estudante de Guarapari cria rifa para conseguir cursar intercâmbio em Portugal

Aluno do Ifes, Bruno Garcia foi aprovado em edital em setembro do ano passado

Anúncio