Anúncio

Antônio Ribeiro escreve para o folhaonline.es aos domingos e, a cada semana, o colunista relaciona Guarapari ao tema do momento. Antônio é administrador de empresas, viveu em Porto Alegre, São Paulo e Curitiba, esteve em todos os estados brasileiros, a exceção de Acre, Roraima e Amapá, ministrou cursos em todos os países da América Latina, menos nas três Guianas, e escreveu o Guia de Férias e Feriadões.

Artigo: isso não é obrigação, é educação. Por uma Guarapari ainda melhor!

Por Antônio Ribeiro

Publicado em 30 de maio de 2021 às 09:00
Atualizado em 31 de maio de 2021 às 13:59

Anúncio

Fotos: Antônio Ribeiro.

Minha família tem casa em Gramado há 50 anos. Passei 40 Natais por lá. Tudo é lindo. Tudo funciona e a cada ano surgem novas atrações e mais turistas.

De tudo que a cidade tem e nos encanta, uma coisa é constante e marca: você sai da calçada, põe o pé na rua e os carros param. Parece controle remoto!

Com coisas simples como esta, você se sente um rei. E o turista para as cidades voltadas e focadas no turismo é isso. Sentir-se um rei, pela atenção dada.

Curitiba, embora seja uma cidade maior e capital, também é assim. Não tanto como Gramado, mas param nas faixas e dão atenção ao idoso e a crianças.

Em Guarapari, quatro de cada cinco apartamentos, são de turistas ou veranistas e durante o ano, muitos moradores não nascidos aqui, são da terceira idade.

Basta prestar atenção para ver que mesmo com a pandemia, é grande o número de edifícios em construção na cidade e tendência são os de tamanho grande.

Com a facilidade para alugar pela Internet, direto com o proprietário, é cada vez maior o número dos que vem à cidade pela primeira vez, a conhecer.

O bom disso tudo é que mais edifícios, geram mais empregos a porteiros, diaristas, zeladores e a todos os outros tipos de serviços necessários.

Maneira de atrair mais turistas e conquistá-los, para que comprem apartamentos aqui é tratá-los bem: parar para que atravessem, principalmente idosos e com crianças.

Como aqui existem muitas ruas estreitas e cruzamentos intensos, sem sinaleira, dar passagem aos demais, também é fator de conquista.

Por ter morado 30 anos em Curitiba, pratico isso e me chama a atenção que muitos não agradecem. A maioria destes, são moradores. Turistas reconhecem!

Para incentivar esta prática, quando não agradecem, dou um leve e rápido toque na buzina. Muitos se tocam e aí retribuem. Assim vou mudando hábitos.

Na região em que moro, muitos já se acostumaram e agradecem. Como caminho bastante, vejo que alguns já param ou cedem passagem.

Assim vamos estabelecendo uma mentalidade, que com o tempo, se transformará em cultura. Sem perceber, estamos conquistando educação.

Esta coluna de hoje é dedicada a Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba, falecido na semana, imortalizado por humanizar as cidades.

*Antônio Ribeiro é autor do Guia de Férias e Feriadões, bem como de 46 outros livros.

Contato: [email protected]

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

?

Anchieta promove 1º Mostra Cultural Aldir Blanc com apresentações on-line

temporada_de_inverno-es-2021-06-24

Governo do Estado entrega site sobre turismo capixaba, oficinas e novo circuito turístico

Setur lançou um conjunto de oficinas para o setor de turismo

Anúncio

Anúncio

situacao_de_rua_2021-06-23

Situação de Rua: o que pensam organizações de Guarapari que trabalham com essa população

Em Guarapari, parte da população têm notado um aumento de pessoas que encaram essa condição

Capacetes Elmo

Espírito Santo recebe doação de 158 capacetes ELMOs para pacientes com Covid-19

Anúncio

xepa vacina

Governo do Estado cria regras para “xepa” das vacinas nas cidades do ES

Orientação da Sesa é que as doses excedentes sejam utilizadas em quem pertence ao grupo contemplado ou para as pessoas da faixa etária seguinte

procurados-2021-06-23

Polícia Militar divulga 5 criminosos de Guarapari procurados pela Justiça

Caso tenha informações, população pode ajudar a polícia através do Disque-Denúncia (181)

Anúncio