Anúncio

Eventos em Guarapari: novas regras e mais taxas

Por Livia Rangel

Publicado em 6 de novembro de 2014 às 00:00

Anúncio

Lívia Rangel

O trâmite legal para a realização de eventos no município vai mudar. Além do aumento da burocracia no processo, será cobrada uma taxa de licenciamento que varia de R$ 155,78 a R$ 3.736,68. O projeto de lei complementar 016/2014, de autoria da prefeitura, esteve em pauta na sessão extraordinária de hoje, às 14h, na Câmara Municipal.  

No entanto, os vereadores pediram a retirada do projeto para uma discussão com o poder executivo. A Assessoria Legislativa da Casa de Leis já adiantou que há uma reunião marcada para a próxima segunda-feira, entre vereadores e representantes da Secretaria de Desenvolvimento e Expansão Econômica (Sedec). É quando vão decidir por emendas no projeto, por uma nova proposta ou se aprovarão sem alterações.

“É importante a gente debater o assunto, porque o município deve sim regularizar essa atividade. Todo evento tem ônus para a administração, então sou favorável sim à cobrança de uma taxa. Mas com ressalvas. E é o que vamos conversar com a prefeitura”, disse o vereador Marcial Souza de Almeida, Dito Xaréu.

A vereadora Fernanda Mazzelli também concorda com a regulamentação dos eventos. Mas se mostrou preocupada com a burocracia do processo de autorização. “Já é difícil fazer eventos aqui. Eu sei disso, porque participo de alguns eventos esportivos e vejo essa dificuldade. Tenho receio de que tenha muita burocracia e dificulte ainda mais a realização de eventos em Guarapari”.

De acordo com a redação, a cobrança depende da duração do evento e do público estimado. A lei não se aplica a casas noturnas e os eventos de baixo impacto realizados por associações ou entidades de utilidade pública, sem fins lucrativos, também ficaram isentos da taxa de licenciamento.

Como ficou a divisão dos eventos

Duração

Público

Taxa Alta Temporada

Taxa Baixa Temporada

Até 6 horas

Até 1.200 pessoas

R$ 311,39

R$ 155,69

De 6 horas a 8 horas

De 1.200 a 5.000 pessoas

R$ 1.245,56

R$ 622,78

De 8 horas a 12 horas

De 5.00 a 10.000 pessoas

R$ 2.491,12

R$ 1.245,56

Acima de 12 horas

Acima de 10.000 pessoas

R$ 3.736,68

R$ 1.868,34

 

Os passos da burocracia

1º – O interessado deve protocolar o requerimento por meio de pessoa jurídica na procuradoria geral do município com prazo mínimo de 60 dias antecedentes ao evento, com os seguintes documentos:

– fotocópia do CNPJ, RG e CPF

– certidão negativa de débitos junto ao município, Estado e União

– titularidade do espaço físico utilizado ou contrato de locação ou arrendamento com reconhecimento de firma

– projeto de instalação e funcionamento de ambulatório médico ou posto de primeiros socorros, além de convênio com hospital para encaminhamento de possíveis atendimentos de urgência e emergência

– requerimento junto à Polícia Militar

– protocolo de autorização da Superintendência do Patrimônio da união (SPU)

– Documento de Arrecadação Municipal (DAM) devidamente quitado

2º – Requerer a Taxa de Licenciamento de Eventos (TLE) junto à Secretaria Municipal da Fazenda (Semfa)

3º – O processo segue para a Secretaria Municipal de Esporte, Cultura e Turismo (Sectur). É ela quem vai verificar o interesse público do município.

4º – Depois, passa pela Secretaria Municipal de Fiscalização (Semfis), onde devem ser apresentados em um prazo de 20 dias antes do evento, uma série de documentos, como:

– alvará de licença junto ao Corpo de Bombeiros

– comprovante de pagamento do DUA

–  alvará de licença da polícia civil e comprovante de pagamento das devidas taxas

– contrato dos serviços de ambulância

– contrato de locação de banheiros químicos caso o local do evento não tenha sanitários, sendo um sanitário para cada grupo de 70 pessoas

– contrato de prestação de serviços de segurança interna e externa, cuja indicação é de um segurança para cada grupo de 60 pessoas

– apólice de seguro coletivo

– autorização da Superintendência do Patrimônio da União

5º – A Secretaria Municipal da Saúde (Semsa) é quem vai verificar as condições sanitárias do local do evento

6º – Já a emissão da autorização do evento ou oficiar o requerente sobre o indeferimento caberá à Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema)

E quem não cumprir?

No caso de descumprimento da lei, os responsáveis podem sofrer multas que variam de R$ 6.227,80 a R$ 62.278. Além do evento ter suspensão imediata e interdição do local. Todos os valores referentes à lei serão repassados para o Fundo Municipal de Turismo (Fumdetur), administrado pelo Conselho Municipal de Turismo (Comtur). E deverá ser revertido para o desenvolvimento sustentável do turismo, esporte, lazer e cultura. 

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

casa-sinestescia-2024

Casa Sinestésica oferece Oficina de Desenho gratuita nesta quarta (17) em Guarapari

Com o tema Autorretrato, atividade tem vagas limitadas

IMG_9800-1

Terra dos Dinos: Guarapari deve ganhar filial do ‘Jurassic Park brasileiro’ em 2025

Parque temático, no RJ, possui diversas atrações e 40 modelos de dinossauros em tamanho real

Anúncio

Anúncio

20240701_160006

Fios acumulados e pendurados em postes preocupam moradores de Guarapari

Moradores flagraram casos em duas avenidas movimentadas da Praia do Morro

lei-seca_forca-pela-vida-7-1

Blitz Lei Seca flagra 131 motoristas alcoolizados em todo Estado no fim de semana

Ação faz parte do programa “Força pela Vida”, integrando diversos órgãos

Anúncio

Wendel Lima

Wendel Lima oficializa desistência da pré-candidatura à Prefeitura de Guarapari

Parlamentar vai tentar novo mandato como vereador

20240712_121249983_iOS

Com novas peças, ‘Brechó dos Apaexonados’ é reinaugurado pela Apae Guarapari

Espaço é importante fonte de recursos para a instituição

Anúncio