Anúncio

O uso de imóveis residenciais para hospedagem

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 24 de agosto de 2019 às 15:00
Atualizado em 24 de agosto de 2019 às 12:48
Anúncio

Por Kymbille Larissa Lopes Siqueira (*) advogada – OAB/ES 26.581

Foto: Fernanda Carvalho/Fotos Públicas.

A locação de imóveis para temporada em cidades turísticas tem se tornado cada vez mais frequente. Contudo, é preciso avaliar até que ponto o aluguel por curto período de imóveis que compõem um condomínio seria legítimo, uma vez que o exercício pleno da propriedade encontra também limitações legais. Como se diz popularmente: “o seu direito termina onde começa o do outro”.

Tais limitações não se tratam de atribuir ilicitude à conduta de locar determinada unidade ou ocupá-la pelo número de pessoas que julgar conveniente, seja a título gratuito ou oneroso, mas do respeito mútuo à rotina do condomínio e à sua natureza, já que é dever de todo condômino, dentre outros, observar a finalidade da edificação, respeitar o sossego, a saúde e a segurança dos demais condôminos.

Assim, o que eventualmente pode desobedecer a legislação é a mudança de finalidade da edificação, uma vez que, frequentemente os proprietários se utilizam de imóveis exclusivamente residenciais para hospedagem de pessoas, em periodicidade diária e com fins lucrativos, acarretando, além de numerosos conflitos de vizinhança, riscos de segurança aos demais coproprietários, diante da mercantilização da hospedagem domiciliar e da intensa rotatividade de pessoas.

Por esta razão, muitos condomínios têm adotado, legitimamente, a vedação da locação por diária, na qual há um intenso fluxo de pessoas estranhas ao condomínio, pois a descaracterização da destinação que cabe a copropriedade pode levar a prejuízos ao condomínio e aos seus membros, diante da possibilidade de se criar um verdadeiro “hotel clandestino”, o que além de levar a riscos, tal como já mencionado, traz custos típicos da atividade hoteleira e dissociados da natureza exclusivamente residencial.

Portanto, o exercício do direito da propriedade por meio da locação temporária irrestrita, atrelado ao desvio da finalidade do edifício e a existência, em alguns casos, de encargos extras ao demais condôminos, é suficiente para autorizar a proibição ou limitação da locação por diárias pelo condomínio, através da edição de Regimento Interno ou alteração, quando necessário, da Convenção Condominial, sujeitando todos ao seu fiel cumprimento.

 

(*) Kymbille Larissa Lopes Siqueira (OAB 26.581/ES)
– Advogada Associada no escritório Ferreira & Goulart Advocacia e Consultoria Jurídica. Pós-graduada em Direito Civil e Direito Processual Civil. Presidente da Comissão da Jovem Advocacia – OAB Jovem da 4ª Subseção da OAB/ES.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

teste-rapido-coronavirus-covid19-1

Com mais um óbito, Guarapari totaliza 82 mortes pela Covid-19

O município registra 2.084 casos confirmados e 1.698 curados, além de 3.979 casos suspeitos

praça

Moradores de Meaípe se unem e criam praça em área abandonada do bairro em Guarapari

A comunidade batizou de “Praça da Sereia” o espaço que vem sendo criado a partir de esforços coletivos

Anúncio
Anúncio
Esgoto Itapebussu2

Guarapari: Esgoto “invade” há anos casa em Itapebussu; moradora pede solução

Foto: Reprodução

Sine Anchieta anuncia vagas com oportunidades de emprego em Guarapari

Dentre as vagas de emprego anunciadas, há oportunidades para moradores de Anchieta, Guarapari, Piúma e Iconha

Anúncio
capa-curado-covid

Curado da Covid-19, idoso retorna para casa em Guarapari após 22 dias internado

Aos 79 anos, Helvécio Gomes dos Santos esteve hospitalizado do dia 08 ao dia 30 de junho; Hoje, recebe ajuda de familiares para lidar com as sequelas da doença

live

Sexta (07) tem live solidária em prol da Pestalozzi de Alfredo Chaves e Amor que Late & Mia

A transmissão acontecerá no Youtube, no canal Jonas Munaldi Produções, a partir das 19h

Anúncio