Anúncio

O uso de imóveis residenciais para hospedagem

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 24 de agosto de 2019 às 15:00

Anúncio

Por Kymbille Larissa Lopes Siqueira (*) advogada – OAB/ES 26.581

aluga se - O uso de imóveis residenciais para hospedagem

Foto: Fernanda Carvalho/Fotos Públicas.

A locação de imóveis para temporada em cidades turísticas tem se tornado cada vez mais frequente. Contudo, é preciso avaliar até que ponto o aluguel por curto período de imóveis que compõem um condomínio seria legítimo, uma vez que o exercício pleno da propriedade encontra também limitações legais. Como se diz popularmente: “o seu direito termina onde começa o do outro”.

Tais limitações não se tratam de atribuir ilicitude à conduta de locar determinada unidade ou ocupá-la pelo número de pessoas que julgar conveniente, seja a título gratuito ou oneroso, mas do respeito mútuo à rotina do condomínio e à sua natureza, já que é dever de todo condômino, dentre outros, observar a finalidade da edificação, respeitar o sossego, a saúde e a segurança dos demais condôminos.

Assim, o que eventualmente pode desobedecer a legislação é a mudança de finalidade da edificação, uma vez que, frequentemente os proprietários se utilizam de imóveis exclusivamente residenciais para hospedagem de pessoas, em periodicidade diária e com fins lucrativos, acarretando, além de numerosos conflitos de vizinhança, riscos de segurança aos demais coproprietários, diante da mercantilização da hospedagem domiciliar e da intensa rotatividade de pessoas.

Por esta razão, muitos condomínios têm adotado, legitimamente, a vedação da locação por diária, na qual há um intenso fluxo de pessoas estranhas ao condomínio, pois a descaracterização da destinação que cabe a copropriedade pode levar a prejuízos ao condomínio e aos seus membros, diante da possibilidade de se criar um verdadeiro “hotel clandestino”, o que além de levar a riscos, tal como já mencionado, traz custos típicos da atividade hoteleira e dissociados da natureza exclusivamente residencial.

Portanto, o exercício do direito da propriedade por meio da locação temporária irrestrita, atrelado ao desvio da finalidade do edifício e a existência, em alguns casos, de encargos extras ao demais condôminos, é suficiente para autorizar a proibição ou limitação da locação por diárias pelo condomínio, através da edição de Regimento Interno ou alteração, quando necessário, da Convenção Condominial, sujeitando todos ao seu fiel cumprimento.

kymbille larissa lopes siqueira e1566657378191 - O uso de imóveis residenciais para hospedagem

 

(*) Kymbille Larissa Lopes Siqueira (OAB 26.581/ES)
– Advogada Associada no escritório Ferreira & Goulart Advocacia e Consultoria Jurídica. Pós-graduada em Direito Civil e Direito Processual Civil. Presidente da Comissão da Jovem Advocacia – OAB Jovem da 4ª Subseção da OAB/ES.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

casa-sinestescia-2024

Casa Sinestésica oferece Oficina de Desenho gratuita nesta quarta (17) em Guarapari

Com o tema Autorretrato, atividade tem vagas limitadas

IMG_9800-1

Terra dos Dinos: Guarapari deve ganhar filial do ‘Jurassic Park brasileiro’ em 2025

Parque temático, no RJ, possui diversas atrações e 40 modelos de dinossauros em tamanho real

Anúncio

Anúncio

20240701_160006

Fios acumulados e pendurados em postes preocupam moradores de Guarapari

Moradores flagraram casos em duas avenidas movimentadas da Praia do Morro

lei-seca_forca-pela-vida-7-1

Blitz Lei Seca flagra 131 motoristas alcoolizados em todo Estado no fim de semana

Ação faz parte do programa “Força pela Vida”, integrando diversos órgãos

Anúncio

Wendel Lima

Wendel Lima oficializa desistência da pré-candidatura à Prefeitura de Guarapari

Parlamentar vai tentar novo mandato como vereador

20240712_121249983_iOS

Com novas peças, ‘Brechó dos Apaexonados’ é reinaugurado pela Apae Guarapari

Espaço é importante fonte de recursos para a instituição

Anúncio