Anúncio

Polícia vai pedir prisão de Jorge Ramos e Lincoln

Por Livia Rangel

Publicado em 17 de setembro de 2013 às 00:00

Anúncio

O vice-presidente da Câmara de Vereadores de Guarapari, Jorge Ramos (PPS), que foi o presidente interino até março, e o 1º secretário de Mesa Diretora, vereador Lincoln Silva (PTN), podem ir para a prisão. O motivo é a suposta cobrança de propina por parte dos vereadores para derrubar a lei da bilhetagem eletrônica.

Outros vereadores também estão na mira da Polícia Civil, Marcial Almeida, conhecido como Dito Xaréu (PTB), e Rogério Capistrano, o Aratu (PV), foram citados nas denúncias feitas pelas empresas de transporte coletivo Nova Guarapari e Guarapari. Todos os citados são integrantes de comissões na Câmara.

Segundo informações, os vereadores teriam cobrado R$ 100 mil das empresas para derrubar a lei 3369/2012, que implanta o sistema de bilhetagem eletrônica na cidade. Das quatro empresas de transporte que atuam em Guarapari, apenas a Asatur adequou-se para operar o sistema. A lei foi derrubada no último dia 3.

O inquérito policial que investiga a denúncia sobre crime previsto no artigo 317 do Código Penal, deve ser concluído amanhã (18), e cópias do relatório serão encaminhadas à Câmara e ao Fórum. Caso seja detectada a culpa, os vereadores podem cumprir pena de 2 a 12 anos, além de pagamento de multa.

Comissão Parlamentar de Inquérito

Wanderlei Astori (PDT), presidente da Câmara, apontou a possibilidade da criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e aguarda o relatório de inquérito para tomar providências. “Se a polícia pedir mesmo a prisão de dois vereadores, vai ser difícil não pedir a criação de uma CPI para investigar o caso. A Casa vai tomar uma posição”, revela.

Depoimentos

A Polícia Civil ainda colhe depoimentos dos vereadores que teve início no último dia 09. Hoje vão depor os vereadores Jorge Ramos e Lincoln, principais suspeitos das acusações. Já Aratu deve ser ouvido amanhã (18). O outro acusado, Dito Xaréu, prestou depoimento na tarde de ontem.

Também foram ouvidos os outros 11 vereadores e o ex-vereador José Raimundo Dantas (PRP), autor da lei a bilhetagem eletrônica, que presidia a Câmara na legislatura passada, quando a lei foi aprovada por unanimidade.

Segundo Dantas, todas as empresas de transporte deveriam ter implantado o sistema de bilhetagem eletrônica, mas apenas a Asatur se adequou. “A ideia era ter um controle maior sobre o serviço de transporte coletivo, evitando a sonegação de impostos”, afirmou.

Com informações de A Gazeta

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

xr:d:DAFIxBti4q8:168,j:9058263125674791586,t:23080117

Esquina da Cultura começa hoje (19) com shows de Thiago Martins e Leo Maia em Guarapari

Festival agita final de semana com shows, atrações culturais e gastronomia

rotativo_cmg-gri-2021-05-21

Prefeitura de Guarapari decreta rescisão do contrato com concessionária de estacionamento rotativo

Decisão foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial do município

Anúncio

Anúncio

Captura-de-tela-2024-07-11-164256

Justiça do Trabalho determina fim da greve na construção civil em Guarapari

Decisão judicial ordena retorno imediato dos trabalhadores e impõe multa ao sindicato em caso de descumprimento

WhatsApp-Image-2024-07-18-at-16.31.41

Escritora de Guarapari leva seu livro infantil para as telas com primeiro curta-metragem

Filme foi lançado no início deste mês no Cine Ritz

Anúncio

WhatsApp-Image-2024-07-18-at-14.56.06

Cruzamentos da Praia do Morro já registraram mais de 30 acidentes de trânsito neste ano

Número equivale à metade das colisões no bairro

Forro-Bobo-2023-13

Balneário de Iriri, em Anchieta, recebe 16ª edição do Forró Bobó neste fim de semana; confira a programação

De 19 a 21 de julho, evento vai reunir música e gastronomia

Anúncio