Anúncio

Antônio Ribeiro escreve para o folhaonline.es aos domingos e, a cada semana, o colunista relaciona Guarapari ao tema do momento. Antônio é administrador de empresas, viveu em Porto Alegre, São Paulo e Curitiba, esteve em todos os estados brasileiros, a exceção de Acre, Roraima e Amapá, ministrou cursos em todos os países da América Latina, menos nas três Guianas, e escreveu o Guia de Férias e Feriadões.

Torta Capixaba: quadrada ou redonda, iguaria caprichada!

Por Antônio Ribeiro

Publicado em 28 de março de 2021 às 09:00
Atualizado em 29 de março de 2021 às 14:13

Anúncio

Foto: arquivo/ FolhaOnline.es

A maioria dos que vem a Guarapari, já tem na cabeça a vontade de provar ou sentir de novo o prazer da moqueca capixaba, tão marcante que é o prato mais característico da culinária do Espírito Santo.

Talvez alguns esqueçam de oferecer ou comentar outra maravilha da gastronomia da Cidade Saúde que agrada a todos que dela provam: a torta capixaba, que bem mereceria ser mais e melhor divulgada.

Afirmo isso, lembrando do churrasco na promoção da cultura do Rio Grande do Sul e com ele, das churrascarias, verdadeiras embaixadas do estado dos gaúchos, no Brasil inteiro e no mundo.

A torta capixaba tradicional, assim como a moqueca, é preparada em panela de barro e basicamente leva palmito, bacalhau, camarão, sururu (marisco), siri desfiado, cebola, azeitonas e ovos.

Alguns preferem não usar sururu, camarão e siri, por restrição alimentar, o que não a  altera. O que não pode faltar é o tempero verde, coentro, cebolinha, e muito azeite, dando toque especial.

Um dos seus muitos segredos é refogar e cobrir com ovos batidos, sendo opção à panela de barro, o levar ao forno e outras opções de peixes, para variar ou economizar.

Tem os que lhe colocam enfeites para aguçar ainda mais o paladar e também ao olfato. Estes podem ser rodelas de ovos, cebola e ou azeitonas, parecendo obra de arte.

Originalmente consumida na Semana Santa, por agradar ao paladar da maioria, tornou-se prato do ano inteiro, principalmente onde servem turistas ou moradores de outros estados, aqui radicados.

O curioso do prato é que sua origem ocorreu nas tribos indígenas que habitavam o litoral do Espírito Santo há mais de quatrocentos anos, sendo este um dos seus legados à nossa cultura.

Por ter sido adotada pelos pescadores, com influência dos africanos e agradado aos portugueses, recebeu destes influência e alguns adendos ou alternativas de preparo.

Assim sendo, complementos alternativos não obrigatórios, como a pinga ou vinho do Porto, bem como azeite doce e a presença das azeitonas, na estética e no sabor.

É quase obrigatório no estado, ter a torta capixaba, que de tão apreciada, está se tornando prato presente nos cardápios dos bons restaurantes e self service.

(*) Autor do Guia de Férias e Feriadões e outros 46 livros.

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

onibus-28-10-2019.mov-snapshot-00.10-2019.10.28-09.17.03-

Passageiros da Viação Alvorada reclamam de atrasos frequentes em linhas sem trocador

geada ES1

Aviso meteorológico prevê sensação térmica abaixo de 0 °C e formação de geada no ES

Anúncio

Anúncio

Julio-Joaquim-folhaonline-27-e-29Jul-2

Edital de Citação – Imóvel Usucapiendo

Casagrande clima

Casagrande e mais seis governadores se reúnem com enviado dos EUA para o clima

Anúncio

renato_entrevista

Entrevista: vereador busca alinhar Anchieta aos objetivos globais de desenvolvimento sustentável

Confira a entrevista exclusiva do jornal FolhaOnline.es com o vereador Renato Lorencini

detonacao_rocha_guarapari-2020-03-24

Detonação de rocha vai interditar BR-101 entre Guarapari e Anchieta

Anúncio