Anúncio

Antônio Ribeiro escreve para o folhaonline.es aos domingos e, a cada semana, o colunista relaciona Guarapari ao tema do momento. Antônio é administrador de empresas, viveu em Porto Alegre, São Paulo e Curitiba, esteve em todos os estados brasileiros, a exceção de Acre, Roraima e Amapá, ministrou cursos em todos os países da América Latina, menos nas três Guianas, e escreveu o Guia de Férias e Feriadões.

Torta Capixaba: quadrada ou redonda, iguaria caprichada!

Por Antônio Ribeiro

Publicado em 28 de março de 2021 às 09:00
Atualizado em 29 de março de 2021 às 14:13

Anúncio

Foto: arquivo/ FolhaOnline.es

A maioria dos que vem a Guarapari, já tem na cabeça a vontade de provar ou sentir de novo o prazer da moqueca capixaba, tão marcante que é o prato mais característico da culinária do Espírito Santo.

Talvez alguns esqueçam de oferecer ou comentar outra maravilha da gastronomia da Cidade Saúde que agrada a todos que dela provam: a torta capixaba, que bem mereceria ser mais e melhor divulgada.

Afirmo isso, lembrando do churrasco na promoção da cultura do Rio Grande do Sul e com ele, das churrascarias, verdadeiras embaixadas do estado dos gaúchos, no Brasil inteiro e no mundo.

A torta capixaba tradicional, assim como a moqueca, é preparada em panela de barro e basicamente leva palmito, bacalhau, camarão, sururu (marisco), siri desfiado, cebola, azeitonas e ovos.

Alguns preferem não usar sururu, camarão e siri, por restrição alimentar, o que não a  altera. O que não pode faltar é o tempero verde, coentro, cebolinha, e muito azeite, dando toque especial.

Um dos seus muitos segredos é refogar e cobrir com ovos batidos, sendo opção à panela de barro, o levar ao forno e outras opções de peixes, para variar ou economizar.

Tem os que lhe colocam enfeites para aguçar ainda mais o paladar e também ao olfato. Estes podem ser rodelas de ovos, cebola e ou azeitonas, parecendo obra de arte.

Originalmente consumida na Semana Santa, por agradar ao paladar da maioria, tornou-se prato do ano inteiro, principalmente onde servem turistas ou moradores de outros estados, aqui radicados.

O curioso do prato é que sua origem ocorreu nas tribos indígenas que habitavam o litoral do Espírito Santo há mais de quatrocentos anos, sendo este um dos seus legados à nossa cultura.

Por ter sido adotada pelos pescadores, com influência dos africanos e agradado aos portugueses, recebeu destes influência e alguns adendos ou alternativas de preparo.

Assim sendo, complementos alternativos não obrigatórios, como a pinga ou vinho do Porto, bem como azeite doce e a presença das azeitonas, na estética e no sabor.

É quase obrigatório no estado, ter a torta capixaba, que de tão apreciada, está se tornando prato presente nos cardápios dos bons restaurantes e self service.

(*) Autor do Guia de Férias e Feriadões e outros 46 livros.

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

RISA_cerimonia_lancamento_site_2021-04-14

Guarapari: Recanto dos Idosos celebra novo site que divulgará trabalho da instituição

Segundo Irmã Marilza, coordenadora da instituição, site vai dar transparência ao trabalho da instituição

secretária turismo

Pasta do turismo em Guarapari tem nova secretária

Anúncio

Anúncio

Centro-Social-Santa-Mônica

Centro Social em Guarapari mobiliza doações para bazar em prol das famílias atendidas

antígeno es

Covid-19: ES recebe 190 mil testes para identificar rapidamente novos casos positivos

Anúncio

valter_valentim_rifa_celular

Após amputação, morador de Guarapari realiza rifa para iniciar reabilitação física

A venda das rifas vai até o dia 5 de maio

baiano_destaque-edit-2021-04-14

Conhecido como Baiano, dono de restaurante em Guarapari perde a vida para a Covid-19

Ornélio da Silva Santos foi uma das 273 vítimas da doença no município

Anúncio